atividades

Para a minha mãe

Para a minha mãe

Mãe, nem todos os dias viste um arco-íris na tua vida.

Tiveste de saber conhecer-te desde muito cedo, tiveste de te levantar sozinha quando todos os dias alguém dizia que não eras suficientemente forte para fazê-lo, mas, sabes que mais? Não importa quantas vezes te dizem que não consegues, porque tu própria me ensinaste que não importa quantas vezes vais cair nem quantos obstáculos vais ter de ultrapassar para seres feliz. Importa nunca desistires e agradeceres o simples facto de existires, porque só merece a vida quem sabe o valor que ela tem.

Acredita que a luz que te ilumina é mais forte que os olhos que te cercam e a tua essência é mais pura que a maldade que reina no coração de quem diariamente luta pela tua desgraça. A felicidade não se conquista com palavras mansas nem com hipocrisia, conquista- se com lágrimas e com medo, porque para um verdadeiro sonhador não há limites, há pequenas pedras que nos atormentam até ao final da nossa estrada. São os teus olhos verdes brilhantes que me fazem acreditar em quem és, eles são o espelho da tua alma, a arma do teu sucesso e a chave do teu coração. É a tua força que me dá força, não são todas as pessoas que conseguem vencer a morte, mas são ainda menos aquelas que conseguem levantar-se sozinhas de um poço escuro onde a única luz que incide é a da tua determinação.

Não há livro nenhum que conte uma história como a tua, não há céu nenhum que não se ilumine com a tua presença e sabes porquê? Porque também não há ninguém que saiba ser tão especial como tu és. Assim como uma casa precisa de cimento para se sustentar, um pescador precisa de peixe para sobreviver, eu preciso de ti para me iluminar, porque não existe nenhuma estrela que brilhe tanto como tu nem nenhum horizonte que seja tão distante como o meu amor por ti.

É difícil dizermos às pessoas que gostamos delas, porque nem sempre reagem com reciprocidade mas, assim como tu conquistaste o mundo para seres quem és, também o mundo se ajoelha perante ti para te provar que todos os esforços têm recompensas e a tua maior recompensa não é a vitória, é a aprendizagem. O amor não é perfeito mas são as imperfeições que o tornam tão autêntico.

Por todos os dias em que não deixaste de fazer algo, porque alguém te disse que não conseguias, e por todos os ensinamentos que nos dás constantemente, OBRIGADA. O amor que sinto por ti é mais profundo que qualquer oceano e mais verdadeiro que qualquer palavra que eu escreva aqui, porque não importa o tamanho das páginas que escrevemos, importa a mensagem que elas transmitem.

Obrigada por tudo.

Amo-te incondicionalmente.

Inês Rodrigues, 10.º A


A minha mãe

A minha mãe é perfeita com as suas imperfeições. Eu adoro-a tal como ela é e tenho a maior sorte do mundo em poder ser a filha dela. Uma boa relação entre mãe e filha é a melhor coisa que se pode pedir, afinal de contas é ela que nos vai guiar e compreender melhor em certas situações, vai alertar-nos para os perigos e essencialmente vai-nos ensinar a ser felizes.

Posso dizer que tenho uma mãe galinha, muito apegada e que vive com o medo de que me possa acontecer alguma coisa de mal. Apesar de esta preocupação por vezes me irritar e gerar algumas desavenças e pelo simples facto de termos crescidos em gerações diferentes, temos opiniões e pensamentos distintos. Mas nem tudo nela é mau, tem imensas coisas boas e uma delas é a sua gargalhada tão característica, tão boa de se ouvir que quando a ouço só me dá vontade de rir, mesmo que não haja motivo para rir. Ela é isto mesmo, contagia as pessoas à sua volta com a sua felicidade, em relação a isto posso dizer que sou muito parecida com ela e orgulho-me imenso disso. Porque ambas somos pessoas muito transparentes, não conseguimos esconder o nosso estado de espírito e, quando estamos em dias menos bons, as coisas já não são tão perfeitas. As gargalhadas passam a respostas rabugentas e os risos a caras trancadas, mas para nossa alegria poucos são os dias assim. Crescemos muito uma com a outra, apesar de estas coisas serem clichê, também são uma grande verdade. Com ela aprendi que não deve ficar nada por dizer, devemos sempre expor aquilo que pensamos, ser verdadeiros com os outros e essencialmente resolver as coisas a falar. Talvez isto se reflita na nossa ingenuidade, porque maior parte das pessoas não tem a capacidade de praticar o bem e de viver com a felicidade dos outros. Mas para minha sorte sempre tive amigas que me abriram os olhos em relação a muitas coisas e pessoas e, com isto, pude fazer o mesmo à minha mãe. Posso dizer que foi ela que me deu bastantes traços da minha personalidade, por mais difícil que seja admitir, tal mãe tal filha. Foi ela que fez a pessoa em que me tornei e espero vir a crescer cada vez mais e tornar-me num grande orgulho para ela, porque acho que não existe coisa mais bonita do que orgulharmos os nossos pais.

A minha mãe é das melhores pessoas que tenho na minha vida e adoro a relação que tenho com ela, falo tudo o que penso e conto-lhe quase tudo o que se passa na minha vida, tornando a nossa relação melhor ainda. Espero construir muitos mais momentos felizes com ela.

Inês Souto, 10.º A


Dia da mãe

Mãe é um ser humano, mãe antes de realmente ser mãe já tem a preocupação como tal.

Como é óbvio é importante ter um pai e uma mãe, mas a relação com uma mãe é sempre diferente. Alguns dizem que é de a mãe crescer ao mesmo tempo que o filho, de o sentir na barriga e de o sentir ao longo do tempo. Mãe normalmente é aquela que consegue desenvolver uma melhor relação com o seu filho, o que é quase sempre significado de se tornar a mais irritante aos olhos do filho(a). Cada mãe tem a sua maneira de educar e a sua relação com o seu rebento, mas no fundo umas mães são mais rígidas outras mais protetoras, mas só querem ver o bem do filho e o seu sucesso na vida.

Mãe quando é mãe deixa de se ver a ela como uma prioridade e começa a ver o filho(a) como a sua preocupação principal e faz tudo a todo o custo por ele(a). Mãe esforça-se sempre por dar o seu melhor, por ser melhor e muitas vezes sente que não consegue isso, porque os filhos muitas vezes não facilitam e só dão mais dores de cabeça, mas elas continuam na mesma a importar-se com eles e ouvem tudo que eles têm para dizer.

Muitas vezes os filhos são um bocado insensíveis por dizer que uma mãe é má mãe ou que ela não é boa mãe como as outras, embora a mãe finja que não está a ouvir o que o filho lhe está a dizer,  ela no fundo importa-se e fica magoada com essas palavras e na maioria das vezes ela deixa-se ir abaixo só por causa do que o filho(a) disse de cabeça quente.

Mãe pode ser muitas vezes considerada de ferro e uma lutadora e por um lado é, porque suporta mais do que uma pessoa normal suportaria e luta pelo bem e saúde dos seus, mas é sempre preciso ajuda de alguém tal como um pai. Muitas vezes as pessoas sentem que estão sozinhas e que têm que superar tudo sozinhas ou porque acham que a ninguém a vai perceber ou porque acha que a irão julgar pelo seu problema, mas ninguém é de ferro, nem ninguém aguenta com tudo sozinho. Toda a gente precisa de alguém para a ajudar e apoiar, mas embora sejamos sinceros que uma mãe aguenta muito mais muitas vezes mais que o próprio pai, mãe é mãe.

No dia da mãe todos os filhos(as) deviam agradecer às suas mães por tudo e dar graças pela maioria das coisas que a mãe já fez pelos seus. Muitas vezes é difícil virarmo-nos para uma pessoa, quer seja mãe ou conhecido, e dizer o que sentimos e agradecer, mas mãe só com uma palavra de obrigado já fica grata e agradecida.

O dia da mãe é um dia importante em que devemos dar graças a todas as mães que existem e ver o seu verdadeiro valor, embora na visão dos seus filhos continue sempre a ser chata, berrelas e birrenta, mas no fundo é para o nosso bem (claro que no momento em que está a reclamar e a berrar é impossível de ver isso e perceber isso) mas temos que fazer um esforço maior para lhe dar o devido valor.

Feliz dia da mãe.

Diogo, 10.º A


Dia da mãe

Olá mãezinha querida,
estou-te aqui a escrever
para que o meu amor por ti
tu possas perceber!

Hoje é dia da mãe,
por isso é dia de relembrar
todas as doidices pelas quais
me fizeste passar!

Gosto muito de ti,
nem preciso de estar a dizer!
E vou fazer tudo o que puder
Para nunca te ver sofrer!

Obrigada por tudo o que fizeste por mim!
Eu sei que às vezes sou difícil de aturar…
Mas tu estás sempre lá para mim,
pronta para me ajudar!

Um feliz dia da mãe
é o que te quero desejar!
E não precisas de te preocupar,
Hoje sou eu quem faz o jantar!

Joana Fernandes, 10.º A


Dia da Mãe

Mãe,
contigo eu aprendi o que é o amor,
contigo aprendi o que é a fé,
contigo aprendi o que é verdade e não mentira,
contigo eu me sinto protegida,
contigo eu fico muito mais feliz quando estou sozinha,
contigo eu prendi a ser responsável e não faltar ao respeito a ninguém.
Tu insinaste-me a dar valor às coisas porque muita gente não tem oque eu tenho hoje e que vou poder ter,
tu insinas-me muita coisa a cada dia que passa.
Tudo o que me insinaste a aprender eu sei hoje eu sei tudo o que tu me insinaste e sempre vou saber porque isso não esquece.
Obrigada por tudo mãe!
Tu és sempre e sempre serás A melhor mãe do mundo!

Liliana Peneda, 7.º B


Mãe!

Mãe,
contigo gosto de
passear no jardim.
É uma alegria
ter-te só pra mim.

Mãe,
contigo gosto de
conversar
É com grande orgulho
que te volto a iluminar.

Mãe é amor,
Mãe é paixão,
Mãe é alegria
que sinto no meu coração.

Mãe, para mim
és uma alegria
que não se faz
com magia.

Diogo, 7º B


A minha mãe

A minha mãe é das mulheres mais fortes, lindas e maravilhosas que poderiam existir, basicamente ela é uma das 7 maravilhas do mundo e,  para além disto tudo,  ela é minha mãe e isso justifica tudo. Não sei bem o que vai sair deste texto, mas posso garantir que a amo muito, que não a trocaria por nada e que lhe devo o mundo e toda a minha vida.

Para começar, sei que não deve ser propriamente fácil aturar-me, literalmente, todos os dias, afinal de contas eu sei que sou muito teimosa e às vezes preguiçosa. Acredito que o que a deve irritar mais é a teimosia, pois ela avisa-me, eu não ligo e depois magoou-me. Mas quer dizer, ela não me pode criticar por isso, afinal de contas ela também é teimosa, e o meu pai também, por isso a culpa não é bem minha, mas sim dos genes. Eu até podia dizer-lhe que vou começar a prestar mais atenção ao que ela diz, mas ambas sabemos que não é verdade, pois eu só aprendo quando bato com a cabeça na parede. E quando isso acontece, a minha mãe é das primeiras a dar-me um sermão, mas também é das primeiras a ajudar–me e a apoiar-me. Sei que posso contar com ela para tudo, mas tudo mesmo.

Para a minha mãe,  eu sou e sempre vou ser a menina dela e nunca vou ser adulta. Muitas vezes ela não me deixa sair, porque diz que sou uma criança, contudo daqui dois anos vou estar a ir para a universidade e sair de casa. Aposto que já sei como vai ser, todos os dias, a toda a hora, a ligar-me e a passar noites preocupada a perguntar-se onde estou. Eu até a compreendo, afinal, as filhas dela são a sua vida e não há nada mais importante que isso. Estaria a mentir se dissesse que também não terei saudades de casa e de estar com ela todos os dias, afinal de contas já é uma rotina chegar a casa e vê-la.

Eu estou a tornar-me numa mulher forte porque uma mulher forte me criou, e esta mulher é a mulher mais importante na minha vida. Ao amor de mãe nada se compara, pois este é o único que dura de sempre para sempre. E apesar de quase nunca o demonstrar, eu amo a minha mãe incondicionalmente.

Leonor, 10.º A


Mãe é uma palavra extremamente forte

Todos o queremos ser um dia, mas nem todos temos a ousadia de o ser. Esta palavra está cheia de significado e por mais que a tentemos tornar banal, esta nunca o irá ser. Porque mãe concebe, mãe cria e mãe torna um ser humano. Ser mãe é transpirar amor. É ter o coração a palpitar sempre que o filho chora. É sentir a dobrar e amar a triplicar. É amar e ser amado, alegrar e ser alegrado e viver até que o mundo lhe cesse essa oportunidade. Porque ser mãe é ser livre, é ser a melhor pessoa do mundo para uma criança que depende de si. No fundo, é a prova mais sentida e mais vivida do amor.

Tu, que o és, nunca fugiste a nenhuma destas filosofias. Sempre deste, sempre acolheste, sempre viveste e sempre escolheste por mim e para mim.

Passados estes anos todos é que percebo o que tu és e sempre foste. Quando somos crianças é complicado perceber o significado de um amor deste grau, imortal, protetor, intenso e verdadeiro. Agora sei que fazes parte de mim, foram o sorrir, o chorar e o cordão umbilical que me prenderam e nunca me soltaram. É como se passados todos estes anos ainda estivesse na tua barriga, ligada através de um órgão.

Lembro-me de estar a ser transportada numa cama, a lutar pela vida, até ao bloco operatório na esperança de não falecer, e tu estares ali, a chorar por mim. Sei lá, foi nesse momento que percebi tudo, o teu amor, a tua lealdade e acima de tudo a tua generosidade. Estiveste um mês comigo num quarto de hospital, a dormir num cadeirão que não era suficientemente confortável e, o mais relevante, é que tinhas sempre um sorriso para me oferecer, em troco de nada nem de ninguém. Para além da grande alegria e afeição que te são características agora, estava ali, diante de mim, uma mulher diferente, cheia de garra, força e determinação. Nesse momento senti-me feliz, pois havia acabado de descobrir a pessoa mais maravilhosa que já conheci.

A partir desse dia passaste a ser o meu tudo e a minha força. No fundo, eu sempre te quis orgulhar e fazer de tudo para que te sentisses bem e feliz a meu lado. Mas agora que olho para trás, nem sempre cumpri perfeitamente essa responsabilidade, sei que já te dececionei e que por mais que me esforçasse não era abastadamente boa.

Nunca aquela quadra que te escrevi no quarto ano fez tanto sentido:

“Minha rosa adorada,
a mais bela do meu jardim,
que és crucificada
por fazeres tudo por mim.”

Sei que não estava nada de especial, mas para uma criança daquela idade não ficou demasiado má. Cada vez mais estes versos começaram a fazer sentido na minha cabeça, daí nunca me ter esquecido da sua existência, pelo seu enorme significado e por traduzirem tudo o que imagino em ti. Não sei, tudo na vida tem um significado e uma história, e esta é a nossa, a mais bela história da minha vida!

Feliz dia da mãe.

Inês, 10.º A


Maternidade

A maternidade é uma arte, não se exprime apenas pela vontade de criar uma família, estende-se à necessidade de amar alguém incondicionalmente. Para que a obra fique perfeita, o artista retoca todos os pormenores, uma mãe não. Ser mãe não é ensinar o filho a viver na perfeição, é mostrar-lhe que não ser nada pode significar ter tudo. Porquê?

Porque não temos de viver num mundo repleto de dinheiro ou ambição que nos iludem, mas viver na esperança de sermos melhores a cada dia e contar uma história não pela necessidade de se tornar reconhecida, mas pela vontade de mostrar que dentro de um ventre materno, o amor é mais quente que o sol e a alegria é mais explosiva que qualquer fogo de artifício. O amor maternal vale mais que qualquer milhão de trocos que tens no bolso e um sorriso pode conquistar qualquer coração desfavorecido e carente de reciprocidade.

Mãe não é quem tenta mostrar à cria a beleza de viver desprezando problemas e obstáculos, é quem procura ensinar ao seu descendente que o amor pode curar mais que qualquer medicamento e salvar mais almas que qualquer poção mágica faria.

Frequentemente, esquecemo-nos de dizer às nossas mães o quão importantes são para nós por medo ou vergonha. Não tens de ter medo de libertar os teus sentimentos,  tens de viver amedrontado com a possibilidade de perderes quem amas sem lhe dizeres que o seu abraço é mais confortante que qualquer vitória que consigas, que o seu ventre foi mais protetor que qualquer exército de ninjas seria e que o seu olhar é mais profundo e sensível que qualquer estrela que rasgue o céu.

Vive envergonhado de usares os outros e não de dares um espelho ao teu coração. Aprende a valorizar o que parece irrelevante, como o amor, e despreza a vontade de conquistares tudo o que te rodeia. Se a tua mãe te aceitou no seu ventre e te protegeu contra o mundo, independentemente das opiniões que davam sobre a sua atitude e da dor que sentiu com isso, lembra-te também tu de a abraçares e sentires a pureza do seu calor e a frieza camuflada de dor e aprendizagem das suas palavras.

Lembra-te que, como uma planta precisa de água para sobreviver, também a tua mãe gostaria de sentir que é especial, porque foi ela a raiz do teu crescimento e a arma da tua aprendizagem.

Inês Rodrigues 10.º A


Querida mãe,

Ambas sabemos que expressar sentimentos não é a minha especialidade, mas por ti posso tentar. Este ano festejamos mais uma vez o dia da mãe juntas. Sei que este ano esta data te traz alguma tristeza devido á ausência da Mana, mas lembra-te que esta distância é apenas física e não nos impede de nos comunicarmos todos os dias, nem te impede de fazeres o teu papel de mãe, de te preocupares dia após dia, de a animares quando ela se sente em baixo, de a confortares quando algo não corre como esperávamos. Eu sei que, por mais difícil que seja, tu não deixas transparecer a tristeza que esta distância te causa e fazes o teu melhor para que esta não influencie a vossa relação. Isto tudo só me faz perceber o quão sortuda sou por poder passar este dia contigo, por poder abraçar-te e dizer o quanto te adoro.

Lembro-me de quando era mais nova e te dava um postal todo rabiscado, ou uma colagem com massinhas como presente. Uma coisa tão simples e sem valor, mas tu adoravas e ainda hoje guardas todos esses postais numa caixa. Isto só prova o quão genuíno é o sentimento de mãe. Acho que esta é uma das coisas que me impressiona em ti, o quanto tu valorizas as coisas que nós fazemos, por mais simples e insignificantes elas sejam. Recordas-te da altura em que nós andávamos na primária e todos os anos na altura do natal havia um espetáculo que cada turma fazia? Apesar de o teu horário não permitir, tu fazias um esforço enorme para estares lá e assistires à nossa atuação. São estes gestos, que aos olhos de muitos são insignificantes, mas que na minha vida fizeram a diferença. Sentir que temos sempre lá alguém para nos apoiar em todos os momentos é um sentimento indescritível.

Agora já não sou mais aquela criancinha, eu cresci, e admito que conviver comigo não é fácil. As minhas mudanças de humor repentinas e o facto de ser muito sensível e de me deixar abalar muito facilmente geram algumas discussões entre nós, mas nada que um “desculpa” e um abraço não resolvam. Queria pedir desculpa por todas as vezes que me isolo, que me fecho no quarto sem te contar o porquê de eu estar abalada. Eu sei que tu sofres com a minha tristeza, e sofres ainda mais quando me vês triste e não podes fazer nada. Eu sei que parece difícil não intervir, mas nesses momentos eu só preciso de algum tempo sozinha para pôr as ideias em ordem e me acalmar. Talvez a tua companhia seja fundamental, mas sem palavras nem conversa, nestes momentos apenas a tua companhia e um abraço são necessários. Queria também desculpar-me por todas as vezes em que descarreguei em ti todas as frustrações que acumulei ao longo do dia pois, mesmo não deixando transparecer, eu sei o quanto isso te magoa.

Queria agradecer tudo o que fizeste por mim e por todos nós. As noites que passaste em branco quando estávamos doentes, os sacrifícios que fizeste para nos veres sorrir, as birras e discussões que ouviste com paciência para depois nos acalmares, todo o tempo livre que ao invés de usares para descansar  usaste para nos entreter, todas as vezes em que após alguma discussão deixaste o orgulho de lado e deste o primeiro passo da reconciliação, todas as vezes em que tiveste de deixar de lado a tua tristeza e as tuas preocupações para nos ajudares a superar as nossas, enfim… todas as vezes em que puseste a nossa felicidade acima da tua. Queria agradecer tudo isto, pois agradecer é o mínimo que posso fazer face a tudo o que fazes por mim. Devo-te a ti a pessoa que sou hoje, todas as minhas conquistas e façanhas pois só consegui alcançá-las devido a um grande pilar que és tu. Por isso obrigado por tudo, por seres a mulher mais forte que conheço, que após todas as quedas e desgraças não desistiu e se levantou, que deu tudo de si para chegar ao que é hoje, por, após muitos falhanços, nunca desistir de mim e me apoiar em tudo sem nunca me abandonar ou hesitar. Obrigada por tudo.

Joana Miguel, 10º A


Para a minha mãe

Mãe é uma palavra que desperta sentimentos muito fortes ao ser dita, desperta várias memórias, desperta carinho, amor e felicidade. O dia da mãe é também para mim o dia do mundo, não só porque para mim a minha mãe é o meu mundo, mas porque ela me deu o mundo e tudo o que há nele.

A minha mãe é também uma verdadeira lutadora, pois dá tudo pelos seus filhos. As pessoas prezam acima de tudo a sua própria vida, mas a mãe é diferente. O que ela preza acima de tudo é a vida dos seus filhos, as mães dão a vida por nós. A mãe dá tudo por nós, mas nós temos a peculiaridade de nos esquecermos disso e nem sempre damos o devido valor, nem sempre a apoiamos como ela nos apoiou e nem sempre seguimos os seus conselhos que são para o nosso bem. Por isso, desde já,  quero pedir-te, mãe,  as mais sinceras desculpas pelas vezes em que não te ouvi, pelas vezes que não fiz o que me dizias e também pelas vezes em que não te apoiei o suficiente. Desculpa, mãe! És para mim a pessoa mais importante de todo o mundo e quero que saibas disso todas as vezes que te vais deitar e todas as vezes que acordas.  És a pessoa que eu quero ser quando crescer!

Obrigada, mãe, pelo amor que me dedicaste e continuas a dedicar. Espero que alguma vez na vida possa retribuir o que fizeste por mim, és o meu anjo da guarda e eu quero com todas as minhas forças ser o teu. Agora que já nem sei como me exprimir decidi fazer algumas quadras para ti:

Mãe és a minha guerreira
Foste tu que me deste a vida
Vou amar-te a vida inteira
E vou adorar para sempre a tua comida

És a minha inspiração
Contigo ao meu lado
Consigo enfrentar até um furacão
Mesmo que seja muito molhado

Contigo aprendi tanto sobre a vida
E estou muito grata por tudo
Sei que me vais apoiar nesta corrida
Como até agora, pois foste o meu escudo

Foste sempre a minha rainha
A minha lutadora
E tão bem fazes na cozinha
Que até me pergunto se és alguma encantadora

Elsa, 10.º A


Mãe querida

Mãe querida, mãe querida
O melhor que a gente tem
Não há outro amor na vida
Igual ao amor de mãe

Sem dúvida que o amor de mãe é especial, em particular o amor da minha mãe. Tenho consciência de que não tenho sido a filha que esperavas, sim, tenho bons resultados na escola, mas não sou propriamente uma dona de casa. Também não me orgulho disso, sei que estou sempre a tentar desculpar-me, mas a verdade é que nunca tive a necessidade de me preocupar com isso porque tu estiveste sempre lá. Continuas a estar e sei que sempre estarás. Seja aqui, no Porto, em Lisboa ou em Braga. Onde a vida me levar tu estarás sempre comigo, não para me mimares, mas sim para me deixares crescer. Irei a muito lado sem ti, farei muitas coisas sem o teu consentimento, o que é bastante difícil para mim visto que não faço nada sem a tua aprovação, mas irei fazê-lo. Detesto pensar que te poderei desiludir, tu e o pai são as pessoas em quem eu mais confio e perder-vos não faz parte dos meus planos. Sei que isso não vai acontecer, acredito em nós, mas cheguei ao ponto de acreditar que tudo é possível.

Minha mãe, a nossa relação é complicada, não é? Até parece que nos damos bastante bem, mas somos alvo de altos e baixos e isso atrapalha a forma como nos tratamos uma à outra. Nunca fui capaz de demonstrar o que sinto por vocês, pais. Nunca fui habituada a fazê-lo e para mim é absurdo dizer que vos amo ou adoro porque nem sequer sei o que isso é, e se sei, então oculto isso diariamente porque desconheço a forma de o manifestar. Penso que já te tenhas apercebido disso porque nunca digo a ninguém o que sinto e não sei até que ponto isso me faz bem, reconheço que isso me prejudica imenso no relacionamento com os outros. Sinto que estou distante dos meus amigos por essa mesma razão. Mas contigo, com a minha família, é diferente, por mais que não vos mostre o quão são importantes para mim, vocês nunca se afastam de mim, temos fases más, sim, mas ultrapassamos tudo e as coisas boas voltam ao de cima. Também mau era, vivo com vocês e toleram-me todos os dias. Sou difícil.

Com tudo isto lá estou eu a ser egocêntrica, não é mãe? Coisas típicas da Letícia. Falo de mim enquanto deveria falar de nós. Mas acho que não tem problema, ficas a conhecer mais um pouco da tua filhota mais nova. Não falo sobre mim muitas vezes, por isso desfruta. Bom, isto está a ficar grande, Eduardina. Usas óculos e deves estar a ficar com a vista cansada, mas faz um pequeno esforço, pelas palavras incertas da tua Lé, não devo tardar.

Se me falta referir alguma coisa? Sem dúvida que sim. Mas sabes como sou, gosto de falar quando é a altura certa e quando têm que me ouvir. Gosto que as coisas fluam por natureza e não forço o que não tem que acontecer. Talvez seja por isso que sejamos assim, distantes, mas doces. Autênticas quando temos que o ser, mas ausentes quando não sabemos quem somos ou queremos ser. Não sei o que isso significa, mas também não tenho a certeza de nada do que tem sido certo na minha adolescência. Deixar fluir é o meu lema, por enquanto!

“Feliz de quem possa dizer
Que tem ainda quem lhe deu o ser
Feliz de quem possa contar
Com o seu regaço pra se aconchegar”  

Letícia Brizida, 10.º A


Agradecida por te ter

Nem sei por onde começar quando o assunto é mãe. Sei que o teu valor não dá para descrever em poucas palavras e também sei que um livro enorme não seria o suficiente.

Neste momento o adjetivo mais completo que encontro para te descrever é: estranha. Estranha porque consegues ser/fazer tudo ao mesmo tempo, lês pensamentos, conheces as minhas diversas caras, cara de choro, gripe, medo, ligas vezes sem conta, pedes favores chatos, implicas com as minhas escolhas… Ao mesmo tempo dás soluções, força, curas pânicos e medos, espantas os perigos, “salvas-me”. Não deixas de parte nenhum detalhe nem o que é melhor.

A vida tem compromissos sérios e urgentes, fazes tanta questão de me mostrar e ir mostrando cada um deles que o que mais ambiciono é saber sempre que estás e estarás lá para me guiar pelo caminho certo.

Quando eu era criança, acreditava que eras uma super-heroína, já lá vai algum tempo… mas com tudo o que já vivi contigo cada vez tenho mais a certeza de que realmente o és.

Ensinas-me a amar, a respeitar, perdoar, dar valor à vida, aos amigos e familiares e, o mais importante de tudo, é que me dás amor, um amor acolhedor, que ensina, provoca risos e choros, um amor que me faz sentir especial.

Gostar também. Tu também me ensinaste a gostar, a gostar das coisas mais inexplicáveis da vida, a parte doce e ao mesmo tempo a saber lidar com a parte amarga, as dificuldades.

Caminhas a meu lado em busca de vitórias, aprendizagem e do “novo” fazes-me aproveitar cada fase que passo e ainda me preparas para as que vou passar.

Mostras-me o teu amor no dia a dia e forças para que eu o faça da mesma forma, consegues ainda fazer com que me ame a mim mesma, tudo o que sonho é dar-te orgulho, mostrar-te a minha garra e que percebas que todos os valores que me transmites ficam comigo.

Espero com isto mostrar-te apenas uma fração do que sinto por ti, vem do coração, vem com sinceridade e amor.

Agradecida por te ter!

Carolina Gonçalves, 10.º A


Uma Força da Natureza

Mãe é uma palavra muito pequena para enaltecer alguém tão importante. Mãe é quem nos gerou, amamentou, criou, que nos ensinou a caminhar e a falar, a crescer e que nos educou e nos orienta sempre, que nos desculpa e perdoa, na realidade, que nos ama incondicionalmente.

Mãe,
és um ser sublime, detentora de grande generosidade, possuidora de uma força interior inabalável, construtora de sonhos, libertadora e encorajadora nos momentos de pânico e de dificuldade, moralizadora.

És aquela que se disponibiliza 24 horas por dia, é quem se levanta cedo para nos acordar, para confecionar as refeições, para lavar a roupa e para passar a ferro, para cultivar os campos, cuidar do jardim, ajudar nos trabalhos escolares, a tratar da limpeza da casa, e nos cuidados de saúde.

És uma orientadora por excelência, governanta e protetora da família e, mesmo depois de muito cansaço e pela noite adentro, ainda consegues presentear-nos quantas vezes com um último esforço e sacrifício, mas sempre com o brilho nos olhos e o sorriso nos lábios, para nos fazer sentir seguros e felizes.

Mãe,
és sol e beleza, brisa e leveza, amparo e fortaleza, és uma força da natureza.

Mãe,
que estás sempre presente na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, sempre a pensar e a zelar por nós, filhos e família, que te desdobras em múltiplas funções e tarefas, sem exigir algo em troca, neste dia especial, eu te digo, AMO-TE MÃE, e muito obrigado por tudo.

Hoje sou eu quem vai cuidar de ti!

Ana Mesquita, 10.º A


(Disciplina de Português)